Nós acreditamos que todo talento deve ser reconhecido, e por esse motivo o RP Lab deu espaço aos FPACKERS para falarem sobre os projetos que desenvolveram. O Fala, FPACKERS, nova categoria do Blog da Paulista, tem como iniciativa compartilhar mais conhecimentos da comunicação a todos os leitores por meio das histórias dos alunos, o processo de criação dos seus projetos, a importância do mesmo para a sua trajetória como estudante e muito mais.

Por Lara Gabrielli

Para estreiar a categoria, convidamos Gustavo Arruda, aluno do sétimo semestre de Rádio, TV e Internet  para um bate-papo sobre a sua trajetória no mundo da comunicação e o seu podcast Comunicação de Quebrada. Gustavo contou como foi todo o processo para a criação do projeto e o que espera alcançar com a mensagem que passa por meio dele.

Gustavo Arruda

“Moleque da quebrada”, como se denomina, o aluno Gustavo Junior de Arruda Silva tem 21 anos, e atualmente cursa Rádio, TV e Internet na FPAC. Mora na zona leste de São Matheus e, devido as suas raízes, procura levar a comunicação às periferias por meio dos conteúdos que produz na internet.

Inicialmente, Gustavo pensou em cursar Letras, mas pela abrangência que RTVI proporciona e pelo gosto por televisão e narração de rádio desde criança, optou por Comunicação Social. Além de produzir conteúdo para as redes sociais, também é locutor e apresentador, então a comunicação é bem presente no seu dia a dia.

Comunicação de Quebrada

Desde 2018, Gustavo Arruda tinha a vontade de desenvolver um programa de rádio para mostrar às pessoas as inúmeras possibilidades dentro da área da comunicação, porém em decorrência dos trabalhos da faculdade e o emprego, o projeto foi deixado de lado. Mas foi no final de 2020, período de pandemia, que o aluno sentiu a necessidade de criar um podcast e falar sobre as suas vivências na área. “Foi um processo muito legal. Conversei com a minha namorada que é designer e alguns parceiros, e eles me ajudaram. Não foi fácil, precisei de muita dedicação ao pensar em pautas, em roteiros e tudo mais, mas quando alguém diz ter gostado do que fiz, tudo vale a pena. ”

O podcast Comunicação de Quebrada foi desenvolvido na intenção de democratizar o conhecimento para quem não tem acesso, de informar às comunidades o quanto a área da Comunicação Social está presente na vida de cada um, e como ela pode ser uma arma poderosa para os “favelados”. “A gente respira comunicação. Seja por meio do nosso jeito de falar, das nossas gírias, das nossas vestimentas, das músicas que ouvimos, nós criamos as nossas próprias comunicações. E por conta disso, eu precisava ser o emissor dessa mensagem, e precisava que o receptor fosse o favelado. Sempre quando aprendo algo sobre a comunicação, tento puxar para o lado da ‘quebrada’. Eu não poderia fugir das minhas raízes. ”

O projeto conta com a participação de alguns profissionais da área, dentre eles alguns professores da FPAC, que contam as experiências vividas e assim como Gustavo, servem de inspiração para muitas pessoas que se interessam pelo tema. “A faculdade me ajudou muito nesse processo. Sem ela eu não saberia como começar, como desenvolver esse projeto, ou como chamar cada convidado para participar dessas conversas. Sem contar os professores, que sempre participam, interagem, e divulgam o meu trabalho. Isso é muito importante. ”

Conteúdos para as redes sociais

Além dos podcasts, Gustavo Arruda também produz conteúdos para o seu perfil no Instagram. Na mesma intenção de transmitir informações sobre a área da comunicação, o aluno aborda diversos assuntos tanto para o público que já está nesse meio quanto para quem se interessa em entrar nele. “Procuro sempre manter uma transmídia entre os podcasts e o Instagram. Criar conteúdo para essa rede me possibilitou interagir mais com as pessoas e falar sobre esse assunto de uma maneira mais fácil. Acho muito engraçado quando alguém vem conversar comigo e fala que trocou de curso por conta das minhas experiências. Essa troca de ideias é muito boa, e ali eu consigo ser eu mesmo, mostrar as minhas raízes e a minha imagem de moleque periférico. ”